terça-feira, dezembro 28, 2004

Como se ama!

Encontrei este texto no orkut de uma grande amiguinha minha. Adorei!!! Será um bom tema para o começo de um ano que promete?
Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não-fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece a razão.
O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo...ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã de Caetano. Isso são só referências.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Então que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante que LSD, que você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.
Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai ligar e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não tem a menor vocação pra príncipe encantado, e ainda assim você não consegue despachá-lo. Quando a mão dele toca a sua nuca, você derrete feito manteiga.
Ele toca gaita de boca, adora animais e escreve poemas... Por que você ama este cara? Não pergunte pra mim.
Você é inteligente, lê livros, revistas e jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica tem o seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu pra ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, tem emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível. Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém...com um currículo desse, criatura, por que diabos você esta sem um amor?
Ah o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados. Não funciona assim. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta no SPC. Ama-se justamente pelo que o amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generosos tem às penas, bons motoristas e bons pais de família, ta assim, ó! Mas ninguém consegue ser do jeito do amor da sua vida! (Luís Fernando Veríssimo)

3 comentários:

Vanessa disse...

Stelinha!!
Parabéns pela sua evolução na tecnologia!! .. isso vicia né?!
Ah ... esse texto por acaso é o do meu orkut?! ... rs
Bem, ele é legal mesmo, por isso coloquei lá!!
Beijinhos pra vc, pra Lina e sua família!!
Que 2005 prometa pra todos nós!!
Até lá!!
:-)

Anônimo disse...

Estela, eu amei o texto!!! Acho que o amor é isso mesmo, essa indefinição, esse não saber por que e nem como ele acontece; simplesmente ele brota sem razões!
Vamos amar em primeiro lugar nossas vidas, nossas conquistas, nossos familiares, amar ao próximo e amar aquele "carinha insuportável e que não tem nada a ver" também...risos...
Desejo a voce, nesse novo ano, muito AMOR, pleno,correspondido;muita FELICIDADE, verdadeira ( aquela que vem do fundo da nossa alma e que até nos emocionamos qdo a sentimos)e também ,claro, muita SAÚDE, para que possa vivenciar tudo o que eu te desejo!

Adorei conhecer voce!
bjos
Silvia Marques

May disse...

O mais legal é que pode-se amar a si mesmo da mesma forma.

O mais importante disto tudo são os tipos de amor, que não se reduz ao amor de homem-mulher, tem o de mãe-filho, amigo-amiga, professor-aluno, aluno-estudo, você-você mesmo, e por aí vai.

Se lermos pensando em cada um dos tipos de relacionamentos da vida veremos que este texto fala de todos estes tipos de amor.

Mas hoje o mais importante em minha vida tem sido este amor por mim, pela minha família, e por meus amigos, estes últimos que reencontrei tão recentemente em minha vida, e dos quais pretendo nunca mais me separar...

Te amo, vc sabe disto, e não me envergonho de declarar, mesmo porq sou muito mulher para adimitir q AMO muito esta mulher-menina, que teima em não querer adimitir o próprio valor, e principalmente fica escondendo tudo o que ela pode, pra este mundo ansioso por sua presença...