sexta-feira, dezembro 12, 2008

Procurando procurando uma mudança pode ser de casa..

Eu ia fazer uma poesia, mas, faz tempo que não escrevo no meu blogger como ele fosse um livro sobre minhas sensações. E já que o texto fala de mudança vamos mudar por aqui, hoje um texto descritivo sobre necessidade de mudar e quando digo que pode ser de casa é que até disto estou precisando modificar. E não é que estou me munindo de coragem! Dá coragem de mudar minha vida, por completo. De baixo a cima e colocá-la de pés para baixo. Acho que com a chegada dos 30 anos ficamos mais introspectivas, mas, querendo nossas realizações, nossos objetivos mesmo que eles ainda nos parecem turvos.
Aos 20 anos somos muito preocupados com convenções, com imagem, com o que é certo e o que é errado, com o que os outros pensam ou deixam de pensar da gente. Queremos agradar, queremos ser aceitos. A determinação fica para outro plano. O plano do agrado é pelo grau da platéia que nos assiste. Acertamos para ser elogiado, erramos para sermos assunto. Eu vivia acertando para agradar... no final esqueci que não agradava a mim mesma e perdi um tempo doido sendo fiél ao certo.
Vão chegando os 30 anos e vemos que não existe platéia alguma, que não há palco. Começamos a nos preocupar com a nossa imagem para nós mesmos. É um processo tão delicioso, tão gostoso perceber que somos donos do nosso nariz e que por este motivo podemos modificar o que está a nossa volta. Ao mesmo tempo é um processo doloroso porque vemos pessoas que amamos indo embora. Percebemos que nada dura para sempre, que tudo tem um processo final, com começo, meio e fim... É diferente. Não queremos mais ficar em segundo plano, não par os outros mas, por nós mesmo.
Mas o melhor é desprender de certas convenções e regras pré-estabelecidas. Ainda acredito nos meus valores e princípios, tenho minha formação cristã e tudo mais, mas, confesso que a quebra de paradigmas vai ocorrendo em cada momento e estou quebrando os meus. Dois fatos me fizeram realizar este texto: o primeiro é te encontrado alguém talvez mais preocupado com isto (convenções, definições, projetos e eu preocupada em +1 dia... somente rs) e a fala de uma querida amiga (que me disse para me preocupar mais comigo, olhar mais para mim).
É evidente que não é ser egoísta, em absoluto. É definir melhor em que termos e em que parâmetros a gente deva se dedicar a alguém. Pelo grau do amor que temos por esta pessoa, acho que isto define bem, e definindo claro limite para esta ajuda. Não fazer por pena, nem carregar ninguém, mas, sim porque você acredita em gênero, número e grau na pessoa. Quem vc ama mais vc tende mais a estender a mão, quantas vezes está pessoas precisar, mas, sem se prostituir. Sem esperar pagamento. E está enganado aquele diz que ama as pessoas com o mesmo grau ou com a mesma intensidade. Isto é uma inverdade. É evidente que se amo mais, vou auxiliar mais até com maior desprendimento e isto não tem nada a ver com o tempo. Também descobrimos isto, que não podemos exigir das pessoas o mesmo carinho, o mesmo amor, a mesma dedicação porque não sentimos isto por todos. Cada um é tão diferente de cada um, amamos cada um de maneiras também diferentes e sim com intensidades diferentes. Às vezes as pessoas que mais nos criticam são as que mais nos amam... As que menos concordam conosco são as que mais nos tem carinho...
É tentar definir-se aos 30 anos é como disse está minha amiga, “fazer as pazes com o que se vê no espelho” e olhando ontem para ele confesso que não estou muito satisfeita. Devem estar pensando que estou me achando gordinha, cheinha, grande demais... Também, mas isto não é o que me preocupa, isto academia, um bom corte de cabelo já ajudam (e também irei fazer rs). Não o espelho é outro. O espelho da alma. Estou me sentindo presa em diversas situações na minha vida, sempre me senti com um certo conformismo, talvez tenha chegado a hora de mudar.
Passa tão depressa. Hoje troco ilusões, sonhos, frustrações, imaginação por um momento real de carinho, amor, paixão mesmo que seja por pequeno momento. Evita tanto frustrações, porque o que posso mudar é o que compete a minha vida: minha morada, meu trabalho, minha carreira, minha identidade, meu cabeço, meu corpo... O que envolve relação, amizade, amor, paixão, família depende de mais gente e não estou a fim de mudar o outro. Só de me mudar. Não que não acredite no amor, já que todas são formas de amor, mas, tudo tem que acontecer, ao seu tempo, no seu jeito, naturalmente e irão acontecer, sem eu esperar... sem expectivar.. rsssssss
Ah e não é sonho o que eu quero. Eu quero realidade. Aos 30 anos passamos a gostar tanto desta palavra. Realidade... É muito mais gostoso ver concretamente as coisas acontecendo em qualquer campo da sua vida (amor, família, carreira, afetividade, amizade, você). A Realidade é linda e é nós que a construímos.
Adoro aquela frase "O Ano Novo está chegando, e as listas intermináveis de promessas" rs. Sempre as mesmas... No final o Ano Novo é inventado pelo homem para um simples ordem cronológica mas, nada.. É um dia após o outro. É um momento de confraternização não de criação de expectativas. Expectativas vem de esperar... e quem esperar acaba nunca alcançando. Não digo que não se deva sonhar... mas, aos 30 anos ou os sonhos se realizam ou viram pesadelo. rs.
MAS TODO ESTE TEXTO JUSTIFICA A MINHA PROCURA POR ATITUDE... E é nas pequenas coisinhas que se começa.. Como diz Carlos Drummond de Andrade.. Perdeu o primeiro amor, vá atrás de outro.. As coisas não estão boas... vá procurar o que é bom.... Mexa-se... e quero sim este meximento na minha vida, quero ficar sem tempo de pensar, refletir, raciocinar.. quero fazer... e quebrar a cara se for necessário. Quero fazer, quero ir, quero me jogar...
Estou indo para a vida LUTAR? Não estou num ringue.. estou indo para a vida VIVER. RS

Um comentário:

Mel disse...

Nossa Stelinha. Profundo mesmo. É 30 anos, tempo de atitude. Sabia que tenho o mesmo pensamento que você.
Temos que fazer acontecer. Sonhar, ficou lá atrás, agora precisamos de realidades.
Saiba que pode contar comigo sempre. Sempre mesmo, de madrugada, embaixo de chuva, furacões, tsunamis.
Te adoro viu "miguinha".
Um beijo enorme.
PS: me vi um pouco em tudo o que vc escreveu...