quarta-feira, setembro 15, 2010

Onde vamos parar?!

Estou um tanto decepcionada com estas eleições.
Sempre encarei a questão das eleições com a seriedade que a obrigação (e não o direito) me propõe.
Porém, virou um verdadeiro circo e novamente, mais uma vez, outra vez, um guerrinha besta para ver que é mais "honesto" ou menos "honesto" do que o outro, em duas partes, entre duas parcelas dominantes do cenário político do país.
Ora, quando iremos perceber que não somos os EUA com dois partidos dominantes que rodiziam o poder, mas somos o Brasil com inúmeros partidos e com inúmeras opções, melhores do que esta, mais preparadas do que estas (talvez!) com propostas mais coerentes.
Se eu, eleitora, não quero votar naquele que usufrui a classe média a pobreza e não quero votar no outro que faz o mais pobre ficar mais pobre e se voltar a classe média, eu fico sem opção?
Ou faço como aqui em São Paulo, deixa com tá que tá bom... tá bom para quem?
A brevidade da vida é a grande culpada de todas estas incoerências. Para que me aprofundar? Para que ir além? Não é minha vida, nada muda, nada mudaria.
E como me aprofundar, já que o esquema eleitoral não me permite isto. Saindo da nossa bolha dos internautas, o meio de comunicação que "forma opinião" a TV, fragmenta, manipula a informação. E o horário gratuito, mais minutos para os mais abastados, e menos minutos para aqueles que precisam pedir doação para campanha. Será que nunca pensamos que no futuro estes candidatos terão que pagar estas cifras de campanha e que é do nosso bolso que isto irá sair?
Eu não estou interessada em sigilo, dôssie ou qualquer outra coisa que represente ou não a corrupção que assola a nossa sociedade e não somente a política. Porque o brasileiro trabalhador, afáve, educado, esforçado e temente a Deus é corrupto em suas pequenas ações devido e justamente devido aos exemplo destes janotas que nos governam, e continuam impunes diantes das suas faltas. Em suma, não estou a fim de saber quem rompeu com o que... quero saber como ficará a situação deste povo, que apesar de cometer erros, merece representantes mais comprometidos com sua realidade e menos comprometidos em pagar este ou aquele auxiliar financeiro de campanha ou aquele ou outro país que lhe dá cobertura.
Ingenuidade é a palavra que representa o brasileiro. Ingenuidade de acreditar "porque é verdade, passa na TV!". E vamos vivendo pagando, a classe média principalmente. Se corre por um lado vê seus dividendos e seu poder de compra desmantelado, se fica vê o pobre cada vez mais pobres a se transformar em uma ameaça para nós classe média. Protejam aqueles que me ajudam na próxima campanha, os ricos, grandes empresários.
Ah me esqueci, não é com você, você paga... vamos continuar pensando desta forma! Assim eu fico mais tranquila em acreditar que para que eleição... se o povo continua com o cabresto e o aceitou de bom grato!

Um comentário:

Rolando disse...

oi.